Notícias

Voltar

Usina Itamaraty muda de nome e anuncia diversificação de atividades

06.11.2019

A Usina Itamaraty anunciou, nesta segunda-feira (4/11), a mudança de nome para Uisa e a diversificação de suas atividades. Antes apenas produtora de açúcar e etanol à base de cana-de-açúcar, passa a operar como o que está chamando de biorrefinaria, apta a produzir alimentos, insumos e energia à base tanto de cana quanto de milho.

“Estamos deixando de ser uma usina com uma única matéria-prima e dois produtos. Entramos numa fase de diversificação e de crescimento sustentável”, diz José Arimatéa Calsaverini, presidente da Uisa, no comunicado da empresa.

Na nota, a Uisa informa que o reposicionamento está relacionado à mudança de comando, agora exercido por um grupo de investidores liderados pelo fundo de private equity CVCIB. Nos últimos três anos, a empresa vinha sendo reestruturada, começando com a administração de dívidas calculadas em R$ 3,2 bilhões entre débitos fiscais, fornecedores e instituições financeiras.

O comunicado acrescenta ainda que foram feitos investimentos em eficiência operacional para aumentar a produtividade, o que elevou o nível de moagem de cana. E foi comprada toda a parte da ex-acionista da Itamaraty, Ana Claudia de Moraes, encerrando a reorganização do passivo da companhia.

“O processo de reestruturação chegou ao fim. Começamos agora o processo de transformação da Uisa, convertendo matérias-primas vegetais em energia limpa, biocombustíveis, alimentos e insumos”, diz Calsaverani, que chegou à empresa no início das mudanças e foi convidado a permanecer na companhia.
Diversificação

Localizada em Nova Olímpia, a 200 quilômetros de Cuiabá (MT), a Uisa é dona de 84,4 mil hectares, dos quais 32,1 mil estão plantados com cana-de-açúcar, com produtividade média superior a 90 toneladas por hectare. Na safra 2018/2019, a produção totalizou 284 milhões de litros de etanol e 155 mil toneladas de açúcar. No ciclo atual, a expectativa é processar 5,1 milhões de toneladas de cana.

A produção de etanol de milho deverá ser agregada ao portfólio da empresa a partir de 2021, um investimento estimado em R$ 190 milhões. Em conjunto, será fabricado também o DDG, usado para alimentação animal. Também para 2021, está previsto o início da produção de levedura seca. Esses dois últimos para atender a demanda de avicultores, suinocultores e criadores de gado mato-grossenses.

Outro investimento previsto é a ampliação da capacidade da termelétrica abastecida com bagaço de cana-de-açúcar. A previsão, de acordo com o comunicado da Uisa, passar dos atuais 60 mil Megawatt/hora (MWh) para 300 mil Megawatt/hora (MWh). Está nos planos também a exploração de biogás, com a intenção de substituir totalmente o consumo de diesel na operação.



Fonte: Globo Rural