Notícias

Voltar

Biosev anuncia novo diretor financeiro e emissão de R$4,79 bilhões em ações

17.04.2018

Em comunicado enviado ontem (16) ao mercado, Rui Chammas, diretor presidente da Biosev – braço sucroenergético da Louis Dreyfus Commodities –, anunciou a eleição de Gustavo Lopes Theodozio como o novo diretor financeiro e de relações com investidores da companhia.

Theodozio assume o cargo ocupado desde 2013 por Paulo Prignolato, que participará da transição. A decisão foi tomada durante reunião do Conselho de Administração da Biosev. “Gustavo Lopes Theodozio vem agregar relevante experiência à companhia, com a missão de continuar a implementação do seu plano de negócio”, disse Chammas.

Segundo o Valor Econômico, contudo, trata-se de uma substituição temporária. A decisão teria sido tomada após a renúncia de Prignolato e deve ficar em vigor até a próxima assembleia de acionistas, que também aprovará o balanço financeiro da safra 2017/18.

Gustavo Lopes Theodozio é formado em administração pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e em Ciência Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O profissional também possui MBA em administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e conta com mais de 25 anos de carreira, já tendo atuado em empresas como Vigor Alimentos, Itambé Alimentos e Unipar Carbocloro.

Aumento de capital social
Dando sequência ao anúncio, o primeiro aviso aos acionistas assinado por Theodozio envolve a aprovação do aumento de capital social da Biosev. Segundo o documento, a elevação será de R$ 4,79 bilhões, de modo que o valor total passará de R$ 2,62 bilhões para R$ 7,41 bilhões. Para isso, a companhia emitirá 1,1 bilhão de novas ações ordinárias, ao valor de R$ 4,32 cada.

Anteriormente, conforme informações da Reuters, a companhia já havia anunciado a proposta de aumento de capital junto a um acordo preliminar com 11 instituições financeiras para extensão e renovação de 67% de seu endividamento bancário, no valor 3,66 bilhões de reais.

Esse acordo com os bancos estaria condicionado ao aumento de capital que prevê, entre outras coisas, recebimento de US$ 1,05 bilhão da Louis Dreyfus, que tem mais de 70% da empresa.


Fonte: Valor Econômico e Reuters